RH dá a dica

O que fazer e não fazer no seu currículo

Você sabe quais as melhores informações para incluir no seu CV?

compartilhe

Seu currículo é, na maioria das vezes, o primeiro contato que as instituições nas quais você está interessado em trabalhar terão de você. Por isso, ele deve ser muito bem construído para que você avance no processo seletivo e conquiste a tão sonhada vaga dos sonhos. Mas o que fazer e não fazer no seu currículo? Chamamos a especialista Marilia Wanderley Guimaraes, coordenadora de educação do IEL Paraná, para te auxiliar com essa missão.

Em primeiro lugar, ela conta que não pode faltar no seu currículo é seu objetivo profissional. “É importante ter um mínimo de clareza e direcionar o objetivo a vaga que quer se candidatar”, esclarece. E tem mais: cuidado para não ser “vago” na definição deste objetivo. Foque no que realmente interessa!

Cabe também uma atenção aos dados de contato, que além de serem informações que não podem faltar no currículo, são o caminho pelo qual você poderá ser acionado pela instituição. “Desta forma, revisar nunca é demais”.

O número do seu documento pessoal pode ser considerado como algo “proibido”, segundo Marília. Tudo isso porque o dado só será necessário se você for aprovado em um processo seletivo. Outra dica é de evitar informações que não correspondam ao perfil do profissional em questão. “É preciso listar habilidades e competências que possui e dar destaque para as mais relevantes. É importante priorizar as informações essenciais, prezando sempre pela objetividade”, conta. “Hoje há muitos modelos de currículos na internet e as vezes, por pouca experiência ou até mesmo insegurança, pode levar o profissional a manter algumas características que não necessariamente correspondam as suas características pessoais. Desta forma, a transparência e informações fidedignas são primordiais para esta construção”, alerta.

Você sabe qual o melhor formato e design de um currículo? Não? A gente te ajuda. Olha só:

O formato ou modelo precisam ter relação com a área de atuação. Por isso, não há uma forma 100% indicada para todos os casos. “Uma atividade que requer um profissional mais criativo é interessante apresentar um CV com características mais criativas, pode ser no formato ou na cor. Em áreas mais tradicionais isso não vai fazer tanta diferença. O mais importante é não ter erros de português, por isso vale sempre dar uma boa revisada no material como um todo”, indica Marília, do IEL Paraná. Por fim, compartilhe o arquivo com outras pessoas antes de enviar para qualquer empresa, pois é sempre bom ouvir uma segunda opinião. Existem vários modelos disponíveis na internet que podem ser aproveitados.

Gostou da matéria e quer indicar um tema para o blog? Nos encaminhe pelas redes sociais do Colégio Sesi da Indústria.