08/06/2020

Pesquisa realizada por alunos do Colégio Sesi de Palmas aponta que motoristas da cidade ainda têm comportamento de risco

Um dos resultados do levantamento aponta que 20% dos condutores já deixaram um menor de idade dirigir seu veículo e 17,7% não usam cinto de segurança regularmente

Um projeto que era para ter grandes ações, contemplando até mesmo uma paralisação no trânsito de uma das vias mais movimentadas de Palmas, no Sudoeste do Paraná, teve de ser adaptado para acontecer mesmo durante a quarentena. Foi assim que surgiu a pesquisa “Pare, Pense, Siga em Frente, a Vida Continua”, realizada por alunos do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Sesi da cidade, com o objetivo de levantar dados a respeito do trânsito no município, bem como conscientizar a população a respeito do assunto. O levantamento indicou, por exemplo, que 20% dos motoristas que responderam a pesquisa já deixaram menores de idade conduzir seus veículos e 17,7% não têm o costume de utilizar o cinto de segurança regularmente.

“O projeto faz parte da oficina ‘De Bem com a Vida’, que já estava planejada antes da quarentena, quando ninguém imaginava o que iria acontecer. A princípio, teríamos várias ações concebidas pelos alunos, como a paralisação da Avenida Sete de Setembro, que dá acesso ao colégio e é uma das mais movimentadas da cidade, mas tivemos que nos adaptar e então surgiu a ideia de realizar essa pesquisa. A nossa paralisação no trânsito aconteceria nesta semana, quando finalizamos a pesquisa, coincidindo, inclusive, com o final do Maio Amarelo”, explica Cristiane de Andrade Hazt, que é orientadora pedagógica do Colégio Sesi de Palmas.

Realizada entre os dias 24 de abril e 13 de maio, por meio de formulário eletrônico, a pesquisa recebeu 405 respostas e apresentou dados referentes a utilização de cinto de segurança, dispositivos eletrônicos ao volante e respeito à sinalização de trânsito, entre outros temas. Os resultados mostram que, apesar de a maioria obedecer à legislação em vigor, alguns condutores ainda se colocam em situações de risco em alguns momentos. Além dos dados citados anteriormente, outro número preocupante se refere à percepção de como os celulares e outros dispositivos eletrônicos interferem na condução de um veículo - 11% dos condutores que responderam à pesquisa disseram que os equipamentos não atrapalham no trânsito. “Consideramos importante esse trabalho, ainda mais quando lembramos que esses alunos também serão motoristas muito em breve, pois já estão próximos dos 18 anos”, comenta Cristiane.

“No início, os estudantes ficaram com receio de que ninguém respondesse a pesquisa, mas agora eles estão impressionados, não só com a participação da população, mas também com os resultados da pesquisa, que revelam uma falta de responsabilidade em relação ao trânsito por parte de muitos motoristas”, completa a orientadora pedagógica. O projeto tem como base o trabalho que o Colégio Sesi desenvolve em referência aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU) e foi realizado em parceria com o Sicredi. Após a conclusão da pesquisa, os dados levantados serão alvo de debates em sala de aula. Os alunos também vão elaborar novas ações para dar continuidade ao projeto, junto ao Departamento Palmense de Trânsito (Depaltran).