Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




CURITIBA27/01/2013

Projeto no Hauer faz livros circularem pelo bairro

Biblioteca comunitária possibilita o empréstimo de livros de uma forma democrática; comércio é parceiro da ação

A comunidade do Hauer, em Curitiba, começou a pôr em prática o sonho de criar uma biblioteca comunitária e já percebe a boa aceitação do público. A ação de incentivo à cultura tem o objetivo de democratizar a leitura e fazer o empréstimo de livros sem burocracia. Os integrantes da Rede de Desenvolvimento Local do Hauer estão desenvolvendo estantes padronizadas e com uma logomarca para a expansão do projeto.

clique para ampliar clique para ampliarFácil acesso: livros ficam expostos em estante dentro de uma loja do bairro (Foto: Adriane Vieira)

A biblioteca do Hauer funciona de uma forma bem simples, os interessados pegam o livro que desejam e devolvem quando terminarem de ler. Adriane Vieira, agente de desenvolvimento local, explica que a ideia principal é fazer o empréstimo de livros de uma forma rápida e sem burocracia “Não tem nenhum cadastro, a pessoa pode ficar o tempo que quiser com o livro, mas tem que ter a consciência de devolvê-lo depois”, afirma.

Uma das maiores dificuldades em executar o projeto era ter alguém que pudesse cuidar da biblioteca. Como solução, os moradores decidiram espalhar as estantes pelo comércio, pois já teria alguém cuidando diariamente. José Augustinho, dono da distribuidora J.A. Doces, situada na Av. Marechal Floriano Peixoto, foi o primeiro comerciante a receber a biblioteca itinerante. “Tem bastante procura, emprestamos vários exemplares diariamente. As pessoas passam e entram muitas vezes só para pegar o livro”, explica o comerciário.

Além do grande número de empréstimos, a comunidade também contribui com a doação de livros para aumentar o acervo da biblioteca comunitária. “Recebemos livros com temáticas bem variadas, mas a maioria é de literatura brasileira. Também tem bastante livro didático e alguns de autoajuda”, conta Osvaldo Percegona, voluntário do projeto. Para doar livros, basta entrar em contato com a agente Adriane ou com algum dos voluntários.

Comunidade consciente

José Augustinho conta que a biblioteca está dando certo por causa da contribuição e da consciência dos que a utilizam. “Nosso projeto não serve apenas para divulgar a cultura, também é um incentivo para as pessoas terem consciência. Talvez algumas pessoas acabem não devolvendo os livros, mas posso afirmar que a maioria colabora e devolve”.

Os membros da Rede irão se reunir no dia 30 de janeiro para planejar a expansão do projeto. Será criada uma logomarca da biblioteca, além de adesivos para os livros. A ideia é padronizar as estantes. “Pretendemos, no futuro, expandir para outros locais. Seria bom colocar em terminais e até em outros bairros, estamos bem ambiciosos com esse projeto”, explica José. A ação realizada pelos moradores do Hauer demonstra o poder da mobilização social. “É uma ideia antiga, precisou ser amadurecida e agora está rendendo bons resultados”, conclui Adriane.

Por Raíssa Ribeiro

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os seguintes erros foram encontrados:








    1. Os sites do Sistema Fiep incentivam a prática do debate responsável. São abertos a todo tipo de opinião. Mas não aceitam ofensas. Serão deletados comentários contendo insulto, difamação ou manifestações de ódio e preconceito;
    2. São um espaço para troca de ideias, e todo leitor deve se sentir à vontade para expressar a sua. Não serão tolerados ataques pessoais, ameaças, exposição da privacidade alheia, perseguições (cyber-bullying) e qualquer outro tipo de constrangimento;
    3. Incentivamos o leitor a tomar responsabilidade pelo teor de seus comentários e pelo impacto por ele causado; informações equivocadas devem ser corrigidas, e mal entendidos, desfeitos;
    4. Defendemos discussões transparentes, mas os sites do Sistema Fiep não se dispõem a servir de plataforma de propaganda ou proselitismo, de qualquer natureza.
    5. Dos leitores, não se cobra que concordem, mas que respeitem e admitam divergências, que acreditamos próprias de qualquer debate de ideias.
    Sesi   Serviço Social da Indústria (Paranà)   Direitos Reservados
    Av. Cândido de Abreu, 200   Centro Cívico   80530-902   Curitiba   PR   0800 648 0088