Saúde

NOTÍCIAS

Um olhar sobre a saúde e segurança dos seus colaboradores: como minimizar os riscos psicossociais

Eles influenciam diretamente a saúde e desempenho do colaborador, por isso, não podem ser menosprezados

17/05/2022

compartilhe

Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), por um lado, os riscos psicossociais consistem em interações entre o trabalho, seu meio ambiente, a satisfação no trabalho e as condições de sua organização. Por outro, as capacidades do trabalhador, suas necessidades, sua cultura e sua situação pessoal fora do trabalho. Ou seja, é tudo o que, através de percepções e experiências, pode influenciar na saúde e no rendimento e satisfação no trabalho. 

Sendo assim, o risco psicossocial gera malefícios à saúde do trabalhador e surge das interações sociais negativas que, no ambiente de trabalho, são comumente observadas em problemas relacionados à organização do trabalho, tais como:

• comunicação ineficiente

• descaso com os objetivos coletivos

• intolerância às diversidades

• falta de confiança no outro

• visão do outro como ameaça etc.

A Agencia Europeia para a Saúde e Segurança no Trabalho (EU- OSHA), informa que as condições adversas relacionadas aos riscos psicossociais no trabalho, devem ser mapeadas pela organização, por meio de diagnósticos e da observação dos líderes, que devem ser capacitados para mitigar ou ao menos minimizar tais condições. Veja quais são:

1- Trabalho demasiadamente exigente

2- Falta de tempo para concluir as tarefas

3- Exigências contraditórias

4- Falta de clareza em relação ao papel a ser desempenhado pelo trabalhador

5- Incongruência entre as exigências requeridas pelo trabalho e as competências do trabalhador que o exerce

6- Falta de envolvimento do trabalhador na tomada de decisões que o afetam

7- Falta de influência do trabalhador sobre a forma como o trabalho é realizado

8- Falta de apoio ao trabalhador por parte das chefias e dos colegas

9- Relações interpessoais instáveis

10- Assédio moral e/ou sexual sofridos no local de trabalho

11- Distribuição injusta do trabalho e/ou das recompensas e oportunidades

12- Ineficácia na comunicação

13. Dificuldade para conciliar a vida pessoal com o trabalho.

Mas, o que fazer?

Após a identificação dos riscos psicossociais, é necessário realizar um plano de ação personalizado. No entanto, é possível listar algumas sugestões de medidas de prevenção para gestão de riscos psicossociais, de acordo com a Agencia Europeia para a Saúde e Segurança no Trabalho (EU- OSHA):

  • Investir na formação dos trabalhadores
  • Proporcionar aos trabalhadores tempo e autonomia suficientes para que possam organizar e concluir suas tarefas
  • Minimizar e partilhar as tarefas monótonas, incentivando que os trabalhadores desempenhem suas próprias funções
  • Deixar claro, por meio de devolutivas regulares (positivas ou negativas) o que se espera dos trabalhadores
  • Envolver os trabalhadores nas tomadas de decisões relativas ao seu trabalho
  • Incentivar que os trabalhadores contribuam com o desenvolvimento de métodos de trabalho
  • Distribuir com justiça as recompensas, promoções e oportunidades de carreira
  • Buscar a construção de um ambiente de trabalho amistoso e de entreajuda
  • Disponibilizar recursos adicionais em períodos de atividade mais intensa
  • Estabelecer um canal de comunicação que aconteça nos dois sentidos, entre gestores e trabalhadores
  • Manter os trabalhadores informados sobre as mudanças que ocorrerão na empresa
  • Implementar medidas que previnam o estresse relacionado ao trabalho, bem como a violência e o assédio dentro da organização
  • Mostrar aos trabalhadores que as preocupações expressas por eles serão tratadas com sensibilidade
  • Proporcionar que o trabalhador possa conciliar a vida profissional com a vida pessoal.

Confira aqui por quê se preocupar com a saúde e segurança de seus colaboradores. 

*Colaborou Roberta Ribas da Silva Costa, analista da gerência executiva de tecnologia e Inovação do Sistema Fiep

NOTÍCIAS