Notícias

Estudantes paranaenses conquistam pódio em campeonato de robótica nacional

01/07/2021

compartilhe

Na última semana, aconteceu, de forma remota, o Festival Sesi de Robótica. Organizado pelo Serviço Social da Indústria, o torneio contou com cerca de 800 competidores de escolas públicas e privadas de todo o país. Equipes paranaenses conquistaram o pódio nas categorias design do robô, core values, técnicos em destaque e ranking da FTC.

“Ficamos muito orgulhosos da participação paranaense na edição nacional. Além do reconhecimento, é ótimo ver nossos estudantes se envolvendo em temas de inovação”, comemora Jacielle Feltrin Ribeiro, gerente de Educação e Negócio do Sistema Fiep. “O Torneio de Robótica é um programa internacional que desafia os estudantes a buscarem soluções para problemas do dia a dia da sociedade. Aplicando conceitos de STEM (Science, Technology, Engineering, Arts e Mathematics) na criação de projetos de inovação, os alunos constroem e programam robôs e colocam eles para completar missões, aprendendo enquanto se divertem. Além disso, procuramos desenvolver habilidades comportamentais, como o trabalho em equipe, colaboração, resolução de problemas e fomentar o trabalho colaborativo”, explica a gerente.

 

Core Values

Entre participantes do país inteiro, em quarto lugar na categoria core values da FLL venceu a equipe Destroyers, do Colégio Sesi da Indústria de União da Vitória. Se as outras categorias avaliam questões técnicas do robô, a categoria core values avalia como a equipe conseguiu chegar aos resultados que chegou: ou seja, através do respeito, trabalho em equipe, inclusão, criatividade, inovação e, inclusive, diversão.

“Foi muito emocionante pra nossa equipe ver nosso nome lá e lembrar de toda nossa trajetória! A FLL é uma experiência de vida única e receber esse prêmio de core values é muito especial pra nós. Sempre comentamos que o maior prêmio era ver o que construímos, como evoluímos, como nos superamos, a amizade que criamos… E aí veio prêmio de core values para selar tudo isso”, conta a participante Sabrina Pedroso Bordinhão, aluna do 3º ano do Ensino Médio.

Lara Cristiny da Silva, colega de Sabrina, corrobora: “Receber esta premiação em um torneio nacional, com 72 equipes incríveis participando, é motivo de muito orgulho para nós. A robótica se tornou algo incrível nas nossas vidas, os aprendizados, todo esse reconhecimento nos demonstra que vale a pena trabalhar para fazer a diferença e que devemos ter essa vontade de mudar o mundo, pois com certeza somos capazes de mudá-lo”.

 

Design do Robô e Técnico destaque

Em 3º lugar na categoria Design de Robô e no 1º lugar na categoria técnicos de destaque está a equipe de garagem Osíris, de Curitiba.

“Essa foi nossa primeira temporada. Como somos um time de garagem, a maioria dos alunos nunca tinha sequer visto uma peça de Lego. Todo esse trabalho foi realizado com estudantes de ensino público, então oportunizamos para pessoas que não teriam, normalmente, acesso ao ensino de robótica. E foi muito gratificante, apesar dos desafios que enfrentamos, conseguir chegar até a etapa nacional. Ainda mais sermos reconhecidos com duas premiações! A gente sabe que o prêmio não é o mais importante, mas depois de tantos meses, ter esse reconhecimento é muito importante. Acredito que tenha motivado a equipe inteira a continuar trabalhando, continuar estudando, continuar no ramo da ciência e tecnologia”, conta Wellingthon dos Santos Matte, técnico da equipe Osíris e estudante de Engenharia

 

Ranking FTC

No Festival Sesi de Robótica também aconteceu a FTC e a equipe BENDERMINDS, do Colégio Sesi da Indústria de Dois Vizinhos, conquistou o 5º lugar no top 6 do ranking. “Diferente da temporada passada, a competição ocorreu remotamente, então tivemos que mudar algumas práticas para nos adaptar ao novo modelo. Nós decidimos nos desafiar, aderimos a uma nova ferramenta para modelagem 3D do robô, desenvolvemos um novo modelo de locomoção, fizemos uso de novos sensores e tecnologias. Também desenvolvemos novos projetos sociais, voltados para o tema da temporada. É muito gratificante sermos reconhecidos como uma das melhores equipes do país, apesar de ser relativamente nova na modalidade e estarmos situados em uma cidade pequena, com menos de 50 mil habitantes”, conta Gabriel Negri, um dos integrantes do time.

O reconhecimento é, também, dos professores envolvidos. Débora R. Schmidt foi a técnica da equipe e conta sobre a alegria do reconhecimento. “A primeira sensação ao ver o nome da equipe entre os destaques foi a euforia. Aí vem o orgulho, a admiração, a gratidão e tantos outros sentimentos. Ver que tudo aquilo é fruto de um trabalho todinho deles é admirável. São alunos que, ainda sem uma formação acadêmica, conseguem projetar e dar formato físico as ideias, que ficam horas trabalhando, fazem aquilo por puro prazer é incrível. Ver o reconhecimento no telão do Nacional foi excepcional!”, compartilha.