Notícias

Egressa do Colégio Sesi Internacional se forma em Finanças na University of South Florida

compartilhe

22 anos, muita dedicação, esforço e coragem levaram Eduarda Gaige Azolin, egressa do Colégio Sesi Internacional do Paraná, a se formar em bacharelado em Artes, com área de estudo em International/Global Business, na University of South Florida, no início deste ano. A profissional, que se formou em dezembro de 2016 no colégio, hoje mora em Tampa, nos Estados Unidos, e é estagiária de finanças na Schoeppler and Associates.

“A minha jornada no Sesi foi maravilhosa, eu me encontrei na vida e descobri que o meu sonho de morar nos Estados Unidos era possível. Fiz amigos pra vida toda, que mesmo de longe e de vários países diferentes, estamos sempre juntos de coração e celebrando as nossas vitórias!”, conta.

Sobre sua preparação para morar no exterior, Eduarda conta que o Colégio Sesi Internacional a ajudou muito no processo. “O colégio fez total diferença na minha vida, eu não sei se eu estaria aqui hoje se eu não tivesse tomado a decisão de entrar no Sesi. Só a ideia de estar estudando em um colégio internacional abre a sua cabeça para outras possibilidades. E foi isso que aconteceu comigo. O Sesi nos levou para uma feira de intercâmbio (onde conheci o pessoal da YES Intecâmbio, em 2014) e aí começou a minha jornada. Outro ponto foi que o colégio também me ajudou bastante com a questão do inglês. As aulas em inglês me prepararam melhor para quando eu chegasse aqui. Vejo que foi uma coisa extremamente importante de se fazer”, lembra.

A metodologia e os professores do Sesi também fizeram a diferença. “O ensino do colégio te prepara para a vida real! Eu uso a metodologia do Sesi até hoje, durante todo o meu estudo aqui, enquanto muitos odiavam fazer trabalho em grupo, eu adorava e ajudava todos dos meus grupos a se posicionarem para aprender a trabalhar um com o outro. Já a professora Vivien (que dava aula de Matemática e Alemão) me deu um suporte incrível quando eu estava começando o meu processo de me mudar para os EUA. Ela escreveu uma carta de recomendação maravilhosa quando eu estava aplicando para as universidades e sentava por horas comigo pra me ajudar com qualquer coisa que precisasse”, se recorda a egressa.

Eduarda conta que vem de uma família italiana tradicional e que, quando teve a ideia de estudar no exterior, tinham muitas dúvidas de como iriam pagar a experiência. Depois de muitas reuniões discutindo o assunto com seu pai, ela esclarece que tiveram diversas conversas com a equipe da YES Intercâmbio. “O profissional da empresa conseguiu nos guiar pelo processo e achar uma universidade que nós conseguiríamos pagar se eu conseguisse as bolsas de estudo, a University of South Florida. Depois de muito estudo tentando manter minhas notas boas, e depois de fazer o teste do SAT, eu consegui a bolsa de estudos para entrar na USF. Sempre que falo com o meu pai por telefone ele menciona “que aventura que nós nos metemos né senhorita?””, comenta.

Agora, quatro anos depois, a egressa acaba de se formar na faculdade e pode se sustentar sozinha. “A última conversa que tive com meu pai essa semana vai ficar na minha memória pra sempre e acho que se aplica a todos os pais do mundo: falamos que agora todo dinheirinho que entra é lucro”.

Sobre a graduação no exterior

Quanto ao processo de fazer uma graduação nos EUA, Eduarda ressalta que isso a abriu os olhos para mais oportunidades e sonhos que pode alcançar. “Conheci pessoas do mundo inteiro, e meus melhores amigos aqui são amigos que eu levarei para a vida toda. Além das amizades, o meu processo de graduação aqui foi bem rigoroso, muitas noites em claro estudando! Eu tive excelentes oportunidades dentro do campus para me envolver com coisas que eu gosto. No ano passado eu apliquei e consegui entrar no Fundo de Investimentos da USF, que foi uma experiência que levarei para vida toda. Nesse fundo eu tive a oportunidade de trabalhar lado a lado com os melhores alunos de finanças da USF e falar com vários profissionais da indústria. Foi um programa extremamente difícil e exigiu muito de todos os alunos, mas foi uma oportunidade que foi além das salas de aula”, relata.

Para quem tem o sonho de morar fora do país, Eduarda dá a dica: “se tiver um sonho, coloca ele no papel, fale com alguém, não importa o quão louco e fora da sua realidade ele é. Trabalhe muito para alcançar esse sonho, não espere sentado. A alegria de alcançá-lo é muito mais que gratificante, é o melhor sentimento do mundo!”.

Legal, né? Parabéns para a Eduarda e toda sua família pelo esforço e pela realização dos sonhos.