Notícias

Projetos de acessibilidade do Colégio Sesi são destaques em FIciências

compartilhe

A Feira de Inovação das Ciências e Engenharias, FIciencias, é uma das principais feiras brasileiras que difunde o ensino e a pesquisa nas áreas de ciência e engenharia. Estudantes do Colégio Sesi no Paraná se destacaram na edição de 2020: equipes se classificaram em 2° lugar no ranking geral, além de terem conquistado 4 ouros, 2 pratas e 3 bronzes em áreas específicas.

“Uma das premissas do Colégio Sesi da Indústria é que os alunos tenham senso crítico e capacidade de resolver problemas. Receber o reconhecimento dos projetos desenvolvidos pelos nossos estudantes é, também, um reconhecimento para a instituição. Demonstra que estamos conseguindo transmitir aos nossos estudantes o conhecimento e, além de formar ótimos profissionais, estamos formando ótimas pessoas”, comemora Jacielle Ribeiro, Gerente de Educação e Negócios do Sistema Fiep.

Em destaque, estão os projetos de acessibilidade desenvolvidos pelos estudantes. No segundo lugar geral, ganhou o projeto “Palavras para quem não vê”, desenvolvido pelas alunas Adriana Fang e Giulia Moreira Demarchi do Colégio Sesi Internacional de Foz do Iguaçu. As estudantes criaram uma impressora que faz a digitação do texto em braile, feita com peças Lego Mindstorm ev3. “Foi muito gratificante conseguir este reconhecimento na FIciências. Foram horas e horas de trabalho intenso com níveis de estresse altos e adrenalina lá em cima, mas valeu a pena. Acredito que são nesses momentos em que mais aprendemos e nos desenvolvemos pessoalmente, porque temos que lidar com diversos sentimentos e emoções juntas, mais a pressão externa, então só os fortes sobrevivem!”, comemora Giulia, rindo. O projeto foi orientado pelo professor Cristian Loch.

Já o “Masteca”, projeto desenvolvido pelos estudantes Maria Luiza de Souza, Miguel Justus Rozanski e Pedro Henrique Aguilera do Colégio Sesi CIC conquistou o primeiro lugar da categoria Criatividade e Inovação e também o primeiro lugar da categoria Ciências Humanas. O “Masteca” consiste em uma mesa educacional que pretende facilitar a educação de conceitos de matemática e geometria para crianças e adolescentes com deficiência visual. Steyce Dayane Lopes foi uma das estudantes que iniciou o projeto e, agora já graduada, atua como co-orientadora do grupo, junto com a orientadora Amanda Pugsley Nacarato. “Ver o ‘Masteca’ crescer é extremamente gratificante. E esse crescer não é só do projeto em si, mas também de nós que estamos envolvidos com ele. Já estamos na fase III e cada vez mais temos um apego fraternal com o projeto. Cada detalhe é feito com enorme amor e com a motivação de que queremos fazer a diferença. Então, quando recebemos essas premiações, ficamos extremamente contentes pelo reconhecimento, por sabermos que de alguma forma estamos fazendo a coisa certa”, conta a egressa.

Também do Colégio Sesi em Curitiba, mas da unidade Internacional, no Campus da Indústria, destacou-se o projeto “Speak Race”. O jogo digital desenvolvido pelas alunas Eduarda Lopes Kurzawa e Giovana Pereira de Assis recebeu o primeiro lugar na categoria Engenharia e terceiro lugar na categoria Criatividade e Inovação. O “Speak Race” é um jogo que pretende gamificar o ensino de Libras para crianças ouvintes. Giovana comenta que este reconhecimento é só o começo: “estamos extremamente satisfeitas e felizes de ter nosso trabalho reconhecido e levar a pauta da acessibilidade e inclusão para uma das maiores feiras de ciências do país. Os nossos planos são de desenvolver melhor o jogo e disponibilizar para testes, depois queremos distribuí-lo para que as escolas possam ter acesso e fácil inserção da Libras na sua grade curricular”, afirma. O projeto tem orientação de Flávia Maria G. A. Ferreira.

 

Conheça mais projetos que foram reconhecidos no FIciências

Na categoria Ciências Sociais Aplicadas, o projeto “Scieyes – Uma Nova Tecnologia Para Inclusão Urbana De Deficientes Visuais”, realizado pelos estudantes Beatriz Perotto Muniz, Maryane Dias dos Santos e Rhyan Jesus Pereira da Silva, do Colégio Sesi CIC, conquistou o primeiro lugar. Orientadores:  Solange Coltro e Alexandre Bueno.

Já na categoria de avanços tecnológicos, foi a “Estação Hidrometeorológica de controle de enchentes” que se destacou, conquistando o terceiro lugar. O projeto foi desenvolvido também por estudantes do Colégio Sesi CIC, os alunos Geovana de Lima Soares, Luis Gustavo Aguilera e Rafaella Crocetta Disner Ferreira. Orientadores: Solange Coltro e Alexandre Bueno.

Na área de empreendedorismo, o Colégio Sesi no Paraná conquistou dois lugares no pódio: em segundo lugar, o projeto “Automação de processos com radiofrequência visando acessibilidade”, dos estudantes Alan Gabriel Fox Soares, Anthonny Parnoff e Pedro Lucas do Colégio Sesi Internacional de Foz do Iguaçu. Logo em seguida, na terceira posição, o projeto “Termo Revest: Telha de Cortiça e Fibra de Vidro com Isolamento Térmico e Acústico”, desenvolvido pelos alunos Dayane Stella Senko Ukan, Enzo Felisbino Hipólito e Maria Eduarda Pares Ribeiro, da unidade CIC, em Curitiba. Orientadores: Alexandre Bueno e Amanda Pugsley Nacarato.