Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




09/09/2013

O papel do Sesi

Como reflexo das grandes mudanças que vêm ocorrendo no estilo de vida das pessoas, sobretudo nos hábitos alimentares, nos níveis de atividade física e no consumo de fumo, verifica-se um crescimento relativo e absoluto das doenças crônicas não transmissíveis -  DCNT, principalmente das doenças cardiovasculares, obesidade, neoplasias e diabetes tipo II.

O Informe sobre a Saúde no Mundo da OMS (Organização Mundial da Saúde)  expõe as circunstâncias das causas das DCNT. Na maioria dos países, uns poucos fatores de risco, mas muito importantes, são responsáveis em grande parte pela morbidade e mortalidade. São eles: hipertensão arterial, hipercolesterolemia, pouca ingestão de frutas e hortaliças, excesso de peso, falta de atividade física e consumo de tabaco. Cinco desses fatores estão estreitamente associados à má alimentação e à falta de atividade física.

O Brasil, nas últimas décadas, passou por uma transição nutricional na qual os padrões alimentares mais tradicionais, como consumo de cereais, frutas, raízes e tubérculos foram sendo progressivamente substituídos por uma alimentação mais ocidental, isto é, consumo de alimentos mais ricos em gorduras, açúcares, sal e aditivos.

A pesquisa “Perfil Epidemiológico de Fatores de Risco para DCNT em Trabalhadores da Indústria”, realizada pelo Sesi com publicação em 2007, revelou que 69,1% dos entrevistados comem menos de uma porção de fruta por dia, 54,2% ingerem menos de uma porção de verduras e 48,6% consome menos de uma porção de legumes.

Existe um acentuado interesse mundial para melhorar a qualidade da nutrição e reduzir os gastos com saúde por meio da prevenção de doenças crônicas, da melhoria da qualidade e da expectativa de vida ativa. As políticas de saúde brasileiras referentes à alimentação e nutrição apresentam esta tendência e seguem as recomendações da estratégia global sobre alimentação saudável, atividade física e saúde, publicada pela Organização Mundial da Saúde. Nesse estudo, a OMS reconhece os locais de trabalho como entornos importantes para promover a saúde e prevenir as doenças.

Considerando que mudanças positivas nos hábitos alimentares têm retornos diretos sobre a saúde em qualquer estágio da vida ou condição preexistente de saúde, o Sesi - Departamento Nacional disseminou para os estados da Federação o produto “Alimentação Saudável na Indústria”. O produto está centrado em ações educativas que visam a mudança de comportamento no que se refere a hábitos alimentares mais saudáveis, e prevê atendimento clínico nutricional para os casos de trabalhadores pertencentes a grupos de risco de adoecimento ou com doença instalada, como tratamento complementar.

O Sesi no Paraná criou o programa Cuide-se+, que tem como foco aumentar a qualidade de vida dos trabalhadores da indústria. A ideia é informar colaboradores e empresas sobre temas como a alimentação saudável, contribuindo para um aumento na saúde e desempenho de todos os trabalhadores da indústria.

 

UNIDADE MÓVEL DE PREVENÇÃO AO CÂNCER

O programa Cuide-se + possui uma unidade de atendimento móvel que percorre todo o estado atendendo as indústrias paranaenses.CONHEÇA A UNIDADE MÓVEL

REVISTA ELETRÔNICA CUIDE-SE +

Conheça a revista eletrônica e tenha ainda mais informações importantes para sua saúde.ACESSE A REVISTA GRATUITAMENTE