Envie para seus amigos

Verifique os campos abaixo!






Comunicar Erro

Verifique os campos abaixo!




26/07/2017

Fundación Chile e Fundação L´Hermitage certificam colégios no Paraná

Selo é entregue como reconhecimento por gestão escolar de qualidade

Desenvolvido pela Fundación Chile e implementado no Brasil pela Fundação L’Hermitage, o Programa de Gestão Escolar de Qualidade qualifica instituições de ensino e as certifica quando atingem os requisitos necessários em cumprimento às normas e exigências de um padrão estabelecido.

No Paraná, as unidades Portão e CIC do Colégio Sesi acabam de receber o selo de Qualidade em Gestão Escolar.

Essa é mais uma conquista da instituição em 2017. O Colégio Sesi no Paraná também foi citado na publicação “Inovações Radicais na Educação Brasileira”, da Fundação Lemann e da Universidade de Stanford (EUA).

Gestão de Qualidade

O Programa de Gestão Escolar de Qualidade tem como principais benefícios o foco na aprendizagem dos alunos e a melhoria dos resultados de avaliação; a criação de uma cultura para a melhoria contínua dos processos e dos resultados com definição e monitoramento de metas e indicadores; a valorização do contexto de cada escola; eficácia no processo de formação de gestores; oferta de um modelo de gestão escolar; avaliação dos processos de gestão de cada unidade escolar de maneira sistematizada e participativa; conhecimento da realidade do contexto escolar com participação de pais, alunos, professores e equipe diretiva; e o fortalecimento da figura do diretor, a partir de uma gestão democrática e profissionalizada.

Melhoramento contínuo

Lilian Luitz, gerente de Educação Básica e Continuada do Sesi no Paraná, afirma que “a certificação é resultado de um intenso trabalho para manter a escola no caminho do desenvolvimento de pessoas e da sociedade, com uma metodologia inovadora e uma gestão de efetiva qualidade”.

Segundo a gerente, a parceria com a Fundação L’Hermitage iniciou em 2015, quando colégios da rede Sesi de alguns estados do país participaram da implantação do programa, com a formação de cerca de 20 gestores escolares. Em 2017 as escolas passaram por uma avaliação externa que tem o objetivo de verificar o grau de implementação do plano de melhoramento elaborado e desenvolvido pela escola, as melhorias realizadas e a necessidade de ajustes, já que o princípio é o de melhoramento contínuo.

Para Lilian, um dos pontos mais importantes do programa é o foco pedagógico, a partir da gestão sistêmica.

Um capítulo para o Sesi

A Fundação Lemann e a Escola de Educação da Universidade de Stanford publicam no segundo semestre de 2017 a obra “Inovações Radicais na Educação Brasileira”, com a temática principal relacionada às escolas radicalmente inovadoras. Trata-se de escolas que promovem transformações profundas no currículo, podendo ser na seriação por idade, divisão da escola em salas de aula, na aplicação de avaliações ou ainda na inclusão de conteúdos não tradicionais no currículo, participação de alunos na definição do currículo e na implantação de processos democráticos de decisão.

Convidado a participar do livro, o Colégio Sesi foi contemplado com um capítulo para contar sobre sua metodologia.

Lilian explica que a publicação é importante como produção técnica para os membros da equipe que elaboraram o artigo e também como uma forma de reconhecimento do trabalho com o qual o Sistema Fiep está contribuindo. “Além de divulgar as inovações do Colégio Sesi no Paraná, divulgará internacionalmente o trabalho de inovação que realizamos. Isso é motivo de orgulho para nós e para a educação brasileira, e pode servir de inspiração para a melhoria da educação no Brasil”, conclui.